Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

olhos que lêem

vou deixar-te acreditar que decifraste o meu olhar, com a certeza que de mim não sabes mais nada.

amizade

27.09.21 | olhosqueleem

janela.jpg


A amizade é uma experiência que o próprio Deus testemunha. O amigo é a certeza de que Deus não nos abandona. Há um provérbio que diz: «Viver sem amigos é morrer sem testemunhas». Os amigos trazem à nossa vida uma espécie de atestação. Os amigos sabem o que é para nós o tempo. Eles testemunham que somos, que fizemos, que amamos, que perseguimos determinados sonhos e que fomos perseguidos por este ou aquele sofrimento. E fazem-no não com a superficialidade que na maior parte das vezes é a das convenções, mas com a forma comprometida de quem acompanha. O olhar do amigo é uma âncora.

José Tolentino Mendonça 

meio metro

12.09.21 | olhosqueleem

122726528_1526803074175489_1013522809768510350_n.j

na ressaca do descontrolo existencial 

comprometo-me com desígnios escorregadios,

guardo então só para mim 

as falácias duma noite de corpo sem fundo 

encaro a varanda de meio metro de largura 

e conjeturo o infinito das ruas largas 

sem espaço para o meu choro.

no retrocesso da certeza vespertina 

volto pé ante pé alimentando a dúvida 

e contrariando o que é simples,

nos sonhos que me esqueço de sonhar 

domina a secura na boca 

e o amargo na consciência,

fazendo crer que de olhos semicerrados 

consigo entender a lucidez.

talvez noutro dia venha a alcançar o ímpeto 

que me permita ser.

 

Nuno Casimiro (autor do blog  beiradalua.blogs.sapo.pt)

do seu livro "Não sei dizer como procuro ser noite"

 

as estações da vida

01.09.21 | olhosqueleem

image.jpg

Dizem que a Mulher não tem idade, tem estações... e a mais bela não é como a maioria pensa, a primavera, mas sim o outono.

Na primavera todos somos flores, exuberância, mas também alguns melindres, inseguranças...

O verão é o auge da beleza, das conquistas, do eu posso, eu consigo!

Inverno... Tempo de contabilizar, perdas e ganhos...

o outono é a plenitude, a sabedoria, a certeza do dever cumprido. Tempo para fazer "o que não se teve tempo", quando se foi indispensável para muitos, e de dizer: "eu estou de bem comigo e com a vida".
Amo esse tempo de folhas ao vento...viverei sempre de forma especial cada outono da minha vida.