Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

olhos que lêem

vou deixar-te acreditar que decifraste o meu olhar, com a certeza que de mim não sabes mais nada.

as coisas simples

04.02.21 | olhosqueleem

a preto e branco.jpg

As coisas simples dizem-se depressa; tão depressa que nem conseguimos que as ouçam. As coisas simples murmuram-se; um murmúrio tão baixo que não chega aos ouvidos de ninguém.
As coisas simples flutuam com o vento; tão alto, que não se vêem. Tão simples como o sol que bate nos teus olhos, para que os feches e as coisas simples passem como sombra sobre as tuas pálpebras.
 

(a partir de um poema de Nuno Júdice, com supressões e alterações)

Obs. Comentários abertos a seguidores. Só consigo vir aqui ao fim do dia...
 
 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.